BP está em negociações com fabricantes de veículos elétricos

Produção da Opep cresce 0,5% em julho, a 32,87 milhões de barris por dia
10/08/2017
Shell mantém confiança no país, apesar da política
10/08/2017
Mostrar tudo

Fonte: Notícias & Mercadolive streaming movie Wolf Warrior 2 online

A BP está em negociações com fabricantes de veículos elétricos para parcerias na colocação de pontos de recarga em sua rede global de postos de serviços, buscando se beneficiar do futuro banimento dos carros a diesel e a gasolina, disse o presidente-executivo, Bob Dudley, à Reuters.O esperado crescimento rápido no uso de veículos elétricos nas próximas décadas está ameaçando o modelo de negócios das empresas de petróleo, já que a demanda por alguns combustíveis rodoviários poderia estabilizar-se no início dos anos 2020, de acordo com algumas estimativas da empresa petrolífera.
BP estuda envolvimento no setor elétrico
Em busca de pegar uma fatia do crescente mercado, a BP, com sede em Londres, está, no entanto, examinando diferentes maneiras de se envolver no setor. “Nós conversamos com muitos fabricantes de veículos elétricos para ter uma ligação com nossa rede de varejo para as recargas dos veículos”, disse Dudley em uma entrevista. A rival Royal Dutch Shell já lançou um esquema piloto para instalar compartimentos de carga de bateria em algumas de suas estações de serviço, na Grã-Bretanha e na Holanda. Prevê-se que o número de veículos elétricos nas estradas cresça significativamente nas próximas décadas, particularmente nas cidades, com a BP estimando que haverá 100 milhões até 2035, ante 1,2 milhões em 2015.
Dudley tem sido um defensor da necessidade da indústria de petróleo e gás de participar do afastamento dos combustíveis fósseis para o uso de fontes de energia mais limpas para combater o aquecimento global.
Empresas ainda não apresentaram planos de energia renovável
Mas a BP, juntamente com suas rivais, incluindo a Shell, ainda não apresentou um plano claro para aumentar seus interesses na produção de energia renovável, como a energia solar e o vento.“Nós estaremos prontos para este mundo, mas não vamos mergulhar muito profundamente”, disse ele, referindo-se aos empreendimentos anteriormente frustrados da BP em energia renovável, incluindo a energia solar.
A BP fará investimentos em tecnologias futuras, mas estas serão pequenas participações percentuais em empresas ou em parceria com elas, disse ele.
Dudley disse que a BP também está estudando veículos autônomos e o potencial para combinar gás natural com geração de energia solar.As companhias de petróleo também estão usando fundos de capital de risco para investir em novas tecnologias energéticas. A Shell, por exemplo, anunciou esta semana um investimento em uma empresa de energia solar, a Sunseap Group, com sede em Cingapura.
Ano piloto
Este ano está se configurando para ser fundamental para a BP, pois inicia o maior número de novos projetos, em um único ano, e a enorme série de pagamentos feitos em penalidades e compensações pela explosão mortal da plataforma Deepwater Horizon, de 2010 no Golfo do México diminui.
Dudley disse que a empresa continuará focada em reduzir os gastos, a fim de tornar a empresa rentável em “um novo normal” preço do petróleo de US$ 50 por barril, e visa reduzir seu custo de equilíbrio operacional para US$ 30 o barril, para torná-lo resiliente.
O primeiro CEO americano da BP também disse que a empresa não pôde identificar, no momento, quaisquer oportunidades atraentes na indústria de xisto dos EUA, onde tem menor interesse de produção, em comparação com a Exxon Mobil, Chevron e Shell.
Ele também negou um relatório recente da mídia que disse que a BP estava pensando em colocar todo o seu negócio no Mar do Norte para venda.
“Isso é absolutamente incorreto, estamos profundamente comprometidos com o Mar do Norte, é um dos nossos redutos”, disse ele.
Fonte: http://portallubes.com.br/

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *