Copersucar: comercialização de açúcar cai 3,6% e de etanol recua 16% em 2016/17

Importação de etanol pelo Brasil cresce 403% no 1º trimestre, mas ANP estima demanda estável
21/06/2017
Etanol permanece competitivo ante a gasolina apenas em MT e SP Etanol
21/06/2017
Mostrar tudo

Fonte: IstoÉ Dinheiro

A Copersucar S.A., maior comercializadora de açúcar e etanol do mundo, informou ter comercializado 5,3 milhões de toneladas de açúcar em 2016/2017, com 3,5 milhões de toneladas exportadas para a Alvean – joint venture com a Cargill – e 1,8 milhão de toneladas destinadas ao mercado industrial doméstico no Brasil. O volume é 3,6% menor do que o total de 5,5 milhões de toneladas de açúcar que a Copersucar informou ter comercializado em 2015/2016.
Os períodos coincidem com os anos-safra de cana-de-açúcar no Brasil e são encerrados em 31 de março de cada ano. A comercialização de etanol caiu 16% entre os períodos, de 5 bilhões para 4,2 bilhões de litros.
Em 2016/2017, a companhia negociou 3,7 bilhões de litros para mercado interno e 500 milhões de litros para mercado externo. Em nota, a Copersucar S.A. destacou que, no período, o Terminal Copersucar de Etanol (TCE) passou a operar novos dutos interligados com a Refinaria de Paulínia (Replan).
As usinas produtoras e sócias da Copersucar moeram 87 milhões de toneladas de cana em 2016/2017, queda de 2,5% ante a safra anterior, quando processaram 89,3 milhões de toneladas. Mesmo com o menor volume comercializado e a queda na oferta de cana das sócias, a Copersucar S.A. relatou lucro líquido consolidado de R$ 256,96 milhões em 2016/2017. O valor representa alta de 469,4% sobre o resultado positivo de R$ 45,13 milhões em 2015/2016.
“Ao longo da última safra, reforçamos nossa convicção de que temos trilhado um caminho virtuoso, apesar das inúmeras dificuldades enfrentadas, tanto no ambiente econômico interno quanto no cenário competitivo internacional. O expressivo resultado obtido foi fruto de ganhos relevantes nas operações diretamente gerenciadas pela Copersucar, isto é, açúcar para o mercado interno, etanol e logística, e também do desempenho importante da atuação no mercado global, por meio de nossas investidas Alvean e Eco-Energy”, informou, em nota, o diretor-presidente da companhia, Paulo Roberto de Souza.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *