Moagem de cana acelera no Centro-Sul, mas ainda não recupera atraso

Opinião: Brasil precisa tomar decisão rápida sobre a dependência do etanol
29/06/2017
Usineiros reivindicam alta de tributação sobre combustível
29/06/2017
Mostrar tudo

Fonte: Reuters

A moagem de cana-de-açúcar na região Centro-Sul do Brasil somou 39,408 milhões de toneladas na primeira quinzena de junho, 25 por cento a mais do que na segunda metade de maio, mas ainda assim a produção de açúcar e etanol está em baixa no acumulado da safra na principal área produtora do país, líder global no setor.
Após chuvas atípicas no início da safra 2017/2018, a moagem acumulada de 1º de abril até 16 de junho segue atrasada em 16 milhões de toneladas ante o ano passado, com um volume total de 151,25 milhões de toneladas, de acordo com dados da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) divulgados nesta quarta-feira.
A produção de açúcar do Centro-Sul do Brasil na primeira quinzena de junho somou 2,379 milhões de toneladas, ante 1,754 milhão de toneladas na quinzena anterior. Mas o total produzido no acumulado da safra atingiu 8,07 milhões de toneladas, retração de 1,7 por cento ante o mesmo período de 2016/2017.
A proporção de cana direcionada à fabricação de açúcar na primeira quinzena de junho foi de 49,34 por cento. “Esse valor retrata a necessidade de fabricação do açúcar já contratado para entrega no primeiro terço da safra e a baixa disponibilidade do produto nas usinas”, disse a Unica.
Na véspera, o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, afirmou à Reuters que etanol anidro já está mais remunerador que o açúcar na exportação, o que deve levar uma mudança do mix no próximo mês.
A Unica ponderou que o mix para açúcar na primeira quinzena de junho deve ser avaliado com cautela, pois foi influenciado pela menor proporção de moagem das unidades autônomas (empresas que produzem apenas etanol) na quinzena.
O Centro-Sul produziu na primeira quinzena de junho 1,51 bilhão de litros de etanol, com crescimento de 39,65 ante o mesmo período do ano passado.
No acumulado da safra, a produção alcançou 5,81 bilhões de litros desde o início da safra, queda de 16 por cento na comparação anual, com o atraso na moagem.
A Unica informou que o teor de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) alcançou no acumulado da atual safra 120,98 kg por tonelada de cana neste ano, ante 121,84 kg por tonelada verificados em igual período de 2016.
Além disso, produtividade agrícola, segundo dados apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), aponta uma queda média de 8,20 por cento na lavoura colhida nos dois primeiros meses da safra, com 79,89 toneladas de cana por hectare, contra 87,03 toneladas por hectare verificadas no mesmo período da última safra.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *