Opep não tem pressa para um corte de produção mais profundo, dizem delegados

Petróleo fecha em alta, após oscilar durante o pregão
27/06/2017
Petrobras: FUP convoca greve nas refinarias para dia 30 de junho
27/06/2017
Mostrar tudo

Fonte: Reuterstrailer film Alien: Covenant 2017

A Organização dos Países Exportadores de petróleo (Opep) não vai se precipitar em fazer um corte adicional na produção de petróleo ou acabar com as isenções de alguns países para os limites de produção, disseram delegados, embora uma reunião na Rússia no próximo mês possa considerar novas medidas para sustentar o mercado.
A Opep e os produtores aliados de fora do grupo concordaram em 25 de maio em prolongar um corte de oferta existente para 2018, mas o petróleo caiu fortemente diante do aumento da produção dos Estados Unidos, da Nigéria e da Líbia, os dois últimos membros da Opep e isentos do corte de produção.
“Duvido que seja considerado em breve”, disse um delegado da Opep referindo-se à chance de um corte maior. “Eles vão examinar esta questão muito provavelmente na próxima reunião na Rússia em julho”.
Os ministros do petróleo de cinco países que monitoram o acordo mais a Arábia Saudita, como presidente da Opep, irão se reunir na Rússia em 24 de julho. Eles podem fazer uma recomendação ao grupo como um todo, que realiza a próxima reunião em novembro, para ajustar o pacto.
“Um corte maior poderia ser uma opção”, disse outro delegado da Opep, acrescentando que mais medidas poderiam envolver colocar limites para um maior crescimento na produção da Nigéria e da Líbia, ao invés de exigir que eles reduzam sua oferta.
Uma terceira fonte familiarizada com o assunto concordou que remover mais petróleo do mercado era uma opção, mas disse que não estava sendo ativamente considerado.
(Reportagem adicional de Rania El Gamal)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *