Bancada petista do Nordeste vão à Justiça contra venda da Gaspetro
14/05/2020
Balanço da Petrobras no 1º tri deve trazer redução da receita
14/05/2020
Mostrar tudo

Fonte: Valor Econômico

Com exceção da distribuidora de combustíveis Ipiranga, seu maior negócio, a Ultrapar viu as demais operações que compõem o grupo – Oxiteno, Ultragaz, Ultracargo e Extrafarma – registrarem resultado melhor no primeiro trimestre. Apesar da melhora do desempenho consolidado, encerrou o período com lucro líquido atribuível aos acionistas de R$ 160,9 milhões, queda de 31% na comparação anual, influenciada pelo resultado financeiro negativo de R$ 168 milhões.
De janeiro a março, a receita líquida do Ultra alcançou R$ 21,4 bilhões, 3% acima do apurado há um ano, apesar do impacto inicial da covid-19 nas vendas em volume da Ipiranga. O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 880 milhões, avanço de 12%.
Conforme a Ultrapar, a distribuidora de combustíveis foi a mais atingida pelos efeitos imediatos da pandemia, com queda abrupta no volume vendido a partir da segunda quinzena de março, e a volatilidade dos preços do petróleo levou a perdas de estoque. O Ebitda da empresa caiu 20%, para R$ 480 milhões, e a margem Ebitda ajustado recuou a R$ 87 por metro cúbico, de R$ 107 um ano antes. De janeiro a março, o volume vendido de combustíveis recuou 2%, a 5,49 milhões de metros cúbicos, com destaque para a baixa de 5% no ciclo Otto. No diesel, houve alta de 2%.
Já a Oxiteno, fabricante de especialidades químicas da Ultrapar, foi beneficiada pela desvalorização cambial de 18% e pela melhora de margens, e registrou Ebitda de R$ 193 milhões, quase cinco vezes mais que os R$ 40 milhões apurados um ano antes.
Na Ultragaz, o Ebitda trimestral subiu 34% na comparação anual, para R$ 147 milhões, diante do maior volume de vendas, com ganho de participação de mercado tanto no segmento envasado quanto no granel. Já a Ultracargo teve Ebitda de R$ 91 milhões, 52% acima do registrado no primeiro trimestre de 2019, diante da expansão de capacidade de armazenagem e reajustes contratuais.
A Extrafarma voltou a gerar resultado operacional positivo, de R$ 9 milhões no trimestre, comparável a R$ 1 milhão positivo um ano antes e R$ 603 milhões negativos no quarto trimestre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *