Mesmo com alta de 14,6% nas vendas dos supermercados, varejo recua 2,5% em março

Pontos de coleta de doações para o Martagão Gesteira são instalados em postos de combustíveis de Salvador
12/05/2020
Sabemos que a economia não vai parar´, diz secretário-executivo da Economia
13/05/2020
Mostrar tudo

Fonte: O Globo

Com pandemia de coronavírus, a venda de alimentos e bebidas em supermercados cresceram 14,6% em março, na comparação com fevereiro deste ano. Ainda assim, o resultado do comércio para o mês é o pior desde 2003, com queda de 2,5%. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira pelo IBGE. No mês de fevereiro, o setor registrou alta de 1,2%.

Na comparação com o mesmo período 2019, com ajuste sazonal, a queda nas vendas foi de 1,2%. Nos três primeiros do ano, o indicador acumula alta de 1,6%.

Em 12 meses, o crescimento é de 2,1%. Com o resultado de março, varejo se encontra no mesmo patamar de dezembro de 2018. Na série sem ajuste sazonal, o comércio varejista recuou 1,2% em relação a março de 2019, contra aumento de 4,7% em fevereiro.

O resultado do atual trimestre contra o quarto trimestre foi de 2% é a maior queda desde o primeiro trimestre de 2016. No varejo ampliado, a variação que foi de -4,4 é o maior desde do quarto trimestre de 2008, que foi -7,3%.

Seis das oito atividades pesquisadas registraram quedas, principalmente aquelas que tiveram suas lojas físicas fechadas em algumas cidades do país, a partir da segunda quinzena do mês. O principal setor foi de tecidos, vestuários e calçados, com queda de 42,2%

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,3%), atividades consideradas essenciais durante o período de quarentena, também apresentaram alta nas vendas frente a fevereiro de 2020.

As vendas de livros, jornais e revistas tiveram retração de 36,1%, além de móveis móveis e eletrodomésticos (-25,9%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-14,2%) e combustíveis e lubrificantes (-12,5%) também reduziram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *