Petróleo recua após tocar maior nível desde o início de março

Recuperação do setor automotivo pós-pandemia será lenta, diz Anfavea
24/06/2020
As 5 frentes de discussão no gás natural
24/06/2020
Mostrar tudo

(Reuters) – Os contratos futuros do petróleo recuaram nesta terça-feira, com o mercado na expectativa de que relatórios indiquem um aumento nos estoques da commodity nos Estados Unidos, o que fez com que os preços se afastassem dos maiores níveis registrados desde o colapso de demanda causado pela pandemia do coronavírus.
As cotações chegaram a avançar no início da sessão, depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, publicar tuíte na noite de segunda-feira garantindo que o acordo comercial com a China está “totalmente intacto”. Os mercados haviam se agitado com comentários inesperados do assessor comercial da Casa Branca, Peter Navarro, de que o acordo estaria “acabado”.
Os valores de referência do petróleo, porém, recuaram durante a tarde, na expectativa sobre dados de estoque. O Instituto Norte-Americano de Petróleo, um grupo privado, divulgou após o fechamento do mercado um aumento de 1,75 milhão de barris na reserva dos EUA na última semana.
As cifras oficiais do governo vêm a público na quarta-feira, e é esperado que indiquem um novo recorde nos estoques do país.
Publicidade
Os futuros do petróleo Brent fecharam em queda de 0,45 dólar, ou 1,0%, a 42,63 dólares por barril, enquanto o petróleo dos EUA (WTI) recuou 0,36 dólar, ou 0,9%, para 40,37 dólares o barril.
No início do dia, ambos os contratos chegaram a ser negociados no maior nível desde que os preços colapsaram em 6 de março.
“Parece que atingimos uma resistência após batermos o nível de 6 de março… e então vimos uma dose de realização de lucros”, disse John Kilduff, sócio da Again Capital em Nova York.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *