UE retoma debate para fim de subsídios a combustíveis fósseis

Coronavírus causará maior queda já vista em demanda por energia e emissões, diz IEA
30/04/2020
Petróleo deve cair ainda mais em 2020, mesmo com alívio em quarentenas
30/04/2020
Mostrar tudo

Nova Cana

O colapso dos preços do petróleo cria uma oportunidade para a Europa eliminar subsídios a combustíveis fósseis e acelerar a transição sem precedentes para uma economia com emissões líquidas zeradas.

A União Europeia quer colocar o Green Deal, com o objetivo de se tornar neutra em carbono até 2050, no centro do plano de recuperação da pandemia de coronavírus, segundo a comissária de energia Kadri Simson. Embora os preços do petróleo em mínimas históricas possam, à primeira vista, dificultar a transição ambiental, o nível das cotações também destaca o risco de futuros investimentos em combustíveis fósseis, disse Kadri em entrevista à Bloomberg News.

“Agora é um bom momento para refletir como nossa estrutura regulatória – incluindo sistemas tributários – pode apoiar melhor um futuro mais sustentável e resiliente”, disse Simson em resposta por e-mail a perguntas. “Livrar-se dos subsídios aos combustíveis fósseis e reduzir impostos sobre eletricidade pode nos conduzir na direção certa, sem colocar muita pressão sobre os consumidores”.

A UE gasta até 200 bilhões de euros (US$ 217 bilhões) por ano em subsídios para o petróleo, carvão e gás natural, de acordo com estudo do Parlamento Europeu. Esses recursos atrasam os esforços para reduzir os gases do efeito estufa, que estão no foco da agenda da UE.

Embora grupos de lobby do meio ambiente insistam há muito tempo no fim de subsídios para a produção e o consumo de combustíveis fósseis, a maioria dos estados membros da UE nem sequer sinalizou planos para considerar tais medidas.

A Comissão Europeia, o braço executivo da UE, criticou repetidamente esses subsídios por incentivar o consumo desnecessário de energia e criar um obstáculo aos investimentos ecológicos. O financiamento da transição limpa é o maior desafio para a Europa, com o objetivo de reduzir as emissões em 40% em 2030, exigindo investimentos adicionais de 260 bilhões de euros por ano.

O setor de energia terá um papel fundamental no pacote de recuperação que a UE elabora atualmente. A comissão tem entrado em contato com empresas e associações para reunir as melhores ideias de como apoiar novos empregos e crescimento em áreas como eficiência e renovação de energia, fontes renováveis, hidrogênio limpo e infraestrutura verde, de acordo com Kadri.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *