Caminhoneiros aguardam resposta do governo sobre decreto que zera PIS/Cofins do diesel

Etanol sobe na maior parte país na semana
03/05/2021
Petrobras faz 1º reajuste da gestão Silva e Luna e corta o preço dos combustíveis
03/05/2021
Mostrar tudo

Fonte: Valor Econômico

Os caminhoneiros ainda aguardam resposta do governo a respeito de um pedido de extensão de prazo do Decreto nº 10.638, que reduziu a zero as alíquotas de PIS/Cofins sobre o diesel. O benefício expira nesta sexta-feira.

Em nota emitida na quinta, a Associação Brasileiras dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava) afirmou que solicitou a prorrogação ao ministro da Economia, Paulo Guedes, ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

O presidente da entidade, Wallace Landim, o Chorão, alega que o alívio tributário temporário “não foi suficiente para minimizar os prejuízos arcados pelos caminhoneiros de todo o país com os consecutivos aumentos”.

Como a concessão de benefícios tributários só pode ocorrer se forem indicadas suas fontes de financiamento, a Abrava sugere que seja revertida a ampliação de benefícios fiscais para concentrados de refrigerantes produzidos na Zona Franca de Manaus. O ganho estimado seria de R$ 5 bilhões.

“Ou seja, o governo federal poderia manter o benefício para os caminhoneiros do país inteiro, além de efetuarmos a justiça social, onde teremos cidadãos como prioridade em detrimento de três grandes empresas (Coca-Cola, Ambev e Heineken)”, argumenta.

Questionado se, diante da ausência de resposta, mobilizaria os caminhoneiros para uma paralisação, Chorão informou ao Valor que pretende proteger a categoria apoiando as reformas econômicas propostas pelo governo.

“Tenho certeza que iremos ter um papel fundamental apoiando essas reformas e assim conseguimos aquecer o mercado”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *