Petróleo fecha em alta, recuperando vigor com vacinas e estímulo no radar

O carro elétrico, mais um desafio para a indústria
15/02/2021
A nova lei da gasolina de Bolsonaro e as velhas mentiras sobre combustíveis
15/02/2021
Mostrar tudo

Estadão

O petróleo fechou em alta nesta sexta-feira, 12, recuperando-se do pregão anterior, marcado pela realização de lucros após oito sessões seguidas de ganhos e por relatórios da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e da Agência Internacional de Energia (AIE) que apontaram para uma demanda global pelo óleo mais fraca em 2021.

Após caírem durante boa parte do dia, os contratos firmaram alta com a interrupção de um movimento de realização de lucros entre investidores. A pandemia da covid-19 e a evolução da vacinação ao redor do mundo também permanecem no radar do mercado.

O petróleo WTI com entrega prevista para março avançou 2,11% (US$ 1,23), a US$ 59,47 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Na semana, o barril do WTI teve alta de 4,60%.

Já o Brent para abril fechou em igual avanço diário, de 2,11% (US$ 1,29), cotado a US$ 62,43 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE), com avanço semanal de 5,20%.

Apesar dos relatórios da Opep e AIE na quinta, o mercado tem visto com otimismo a perspectiva de recuperação da demanda global da commodity energética em 2021, avalia a Capital Economics em relatório. Diante deste movimento, a casa revisou sua projeção para o preço do WTI ao fim do ano de US$ 60 para US$ 70 o barril. A Capital prevê uma retomada das atividades nos setores de viagens e hospitalidade apoiada pela vacinação em massa contra a covid-19, em especial a partir do segundo semestre de 2021.

“Além do mais, suspeitamos que o uso de petróleo ainda aumentará fortemente, mesmo se as restrições de viagens internacionais permanecerem em vigor, já que níveis mais elevados de viagens domésticas compensam parte da fraqueza na demanda de combustível de aviação”, projeta a consultoria. Há, porém, a possibilidade de gargalos no processo de vacinação que, junto à atual demanda fraca por petróleo, pode fazer com que os preços da commodity sofram algum desgaste a curto prazo.
00:03Ad

O noticiário da pandemia de covid-19 também ajudou a impulsionar o óleo. Entre os destaques, a Alemanha observa melhora significativa no número de casos registrados após mais um período de quarentena no país, segundo afirmou nesta sexta o ministro da Economia e Energia alemão, Peter Altmeier. No Japão, a vacina desenvolvida pela norte-americana Pfizer deve ter seu uso emergencial aprovado até o próximo domingo, de acordo com ministro da Saúde, Norihisa Tamura.

O mercado ainda acompanha o andamento de uma nova rodada de estímulos fiscais no Estados Unidos para recuperar a economia do país da crise de covid-19.

Nesta sexta, a secretária do Tesouro, Janet Yellen, defendeu mais apoio fiscal para promover uma recuperação econômica “robusta e duradoura”, em reunião com ministros de Finanças e presidentes de bancos centrais do G7. A presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, afirmou nesta semana esperar que o pacote de estímulos seja sancionado pelo presidente Joe Biden até meados de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *