Volkswagen pede desculpas por brincadeira com ‘Voltswagen

Saiba como será o funcionamento do Sindicato na Semana Santa
31/03/2021
Câmara aprova novo prazo para entrega de IR
01/04/2021
Mostrar tudo

Folha de S. Paulo

A companha havia anunciado no começo da semana que mudaria o nome de sua subsidiária nos Estados Unidos para “Voltswagen”, em um esforço para promover sua nova linha de veículos elétricos que está chegando ao mercado.A informação foi tratada como autêntica por diversos veículos de mídia internacionais (inclusive a Folha), por membros de conselhos de companhias rivais e mesmo por analistas da corretora Wedbush, que escreveram que a mudança de nome “sublinha o compromisso claro da VW para com sua marca de veículos elétricos e seus esforços maciços no ramo nos próximos anos”.

Os ADRs (recibos de ações negociados nos EUA) da Volks negociados nas Bolsas americanas subiram 16% na segunda (29) e na terça (30) e caíram 5% após a empresa admitir a brincadeira nesta quarta (31).

“A Volkswagen of America desenvolveu e implementou uma campanha de marketing a fim de chamar a atenção – de um jeito brincalhão – para a ofensiva elétrica da empresa e para o lançamento do ID.4 nos Estados Unidos”, anunciou a montadora.

“A intenção era criar ‘awareness [conhecimento sobre a marca] quanto a uma questão importante para a empresa e o setor no país. Lamentamos que o anúncio possa ter incomodado algumas pessoas.”

A Volkswagen declarou que valorizar o preço de suas ações “não era e não é o motivo de sua campanha”. A SEC (Securities and Exchange Commission), agência federal que regulamenta os mercados de valores mobiliários dos EUA, se recusou a comentar sobre se investigaria ou não o assunto.

Foi uma escolha incomum de estratégia para uma empresa que passou os últimos cinco anos tentando limpar a reputação por desonestidade empresarial que adquiriu com o caso dieselgate, que envolveu não só a venda de milhões de veículos que trapaceavam nos testes de poluição mas esforços para encobrir seus delitos, ao ser questionada pelas autoridades regulatórias.

Na semana passada, o grupo anunciou que processaria seu ex-presidente executivo Martin Winterkorn e o ex-presidente da divisão Audi Rupert Stadler em busca de indenizações pelo incidente.

A brincadeira com os carros elétricos gerou comentários imediatos sobre o escândalo dos poluentes.

“Voltswagen foi a melhor brincadeira de 1º de abril desde que a Volkswagen nos disse que o diesel não poluía”, tuitou a conta Whole Mars Blog, que fala em veículos elétricos e promove frequentemente a Tesla, uma pioneira dos carros elétricos.

A confusão começou na segunda-feira, quando a companhia parecia ter divulgado um novo nome por engano. Nas horas que se seguiram a isso, e no dia seguinte, a Volkswagen parece ter feito tudo que podia para confirmar a validade da mudança de marca.

A página oficial da unidade americana da montadora no Twitter incorporou a mudança de nome para “Voltswagen”, e um informe para a imprensa sobre o assunto citava o presidente-executivo regional Scott Keogh, que declarou que “a mudança de nome é um aceno em direção ao nosso passado como o carro do povo e uma declaração de nossa firme crença em que nosso futuro está em sermos o carro elétrico do povo”.

Diversos veículos de imprensa, entre os quais Associated Press, USA Today e CNBC, mencionaram confirmações por fontes internas da empresa de que a mudança era genuína.

Na quarta, Lauren Easton, porta-voz da Associated Press, disse que a agência de notícias “recebeu confirmações repetidas da Volkswagen de que sua subsidiária americana planejava mudar de nome e noticiou essa informação, que agora sabemos ser falsa”.

Ela acrescentou que “essa e qualquer outra divulgação deliberada de informações falsas prejudica o jornalismo acurado e o bem público”.

Chrissy Terrell, porta-voz do jornal USA Today, disse que a Volkswagen “usou esse falso anúncio de forma a manipular repórteres respeitados, de veículos noticiosos de confiança, a fim de dirigir atenção à sua campanha de marketing”.

O informe à imprensa foi retirado da página de mídia da montadora na madrugada de terça para quarta-feira, e o nome de sua unidade americana voltou ao normal.

Tradução de Paulo Migliacci

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *