GNV é uma boa alternativa para economizar

ANP passa a divulgar composição dos preços de combustíveis
16/03/2018
Preço médio da gasolina volta subir e retorna à casa dos R$ 4,20, diz ANP
17/03/2018
Mostrar tudo

Fonte: A Tarde

Com os recentes e frequentes aumentos no preço da gasolina, cresce a chance de ficar mais vantajosa uma opção já muito adotada pelos motoristas baianos: a conversão para o gás natural veicular (GNV), que mantém a opção de se usar gasolina ou etanol no veículo. Entre as vantagens de usar o gás natural, a principal é o custo. Para quem opta por usar GNV, a economia pode chegar à 50% do que quem usa gasolina ou álcool.

De acordo com o Detran, em 2017, os carros funcionam à base de GNV na Bahia representaram cerca de 500 mil veículos. Ainda no ano passado, a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) e de empresas especializadas em realizar o serviço em Salvador revelou que após o aumento dos preços da gasolina, a procura pela conversão de automóveis ao sistema de gás natural veicular na Bahia e no Brasil aumentou em 50%. Em todo o Brasil, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), já há 1,9 milhão de veículos convertidos ao GNV.

Outro dado que comprova o crescimento pela procura do gás natural, é uma pesquisa realizada pelo site de compra e venda online, OLX. A empresa revelou que em 2017 aumentou 25% a procura por carros equipados com GNV no comparativo com 2016. O número de carros GNV comercializados no último trimestre de 2017 chegou a 23 mil – um crescimento de 44% em relação aos últimos três meses de 2016.
O GNV ou o Gás Natural Veicular, é o mesmo gás natural usado em residências, comércio e indústria (não confunda com o GLP, o gás de cozinha), mas aplicado sob alta pressão em veículos através de cilindros especiais. É um combustível alternativo.

Vantagens
Para quem roda muitos quilômetros por dia, a vantagem de ter um veículo adaptado para o GNV é maior. Levando em consideração que o preço para instalação do kit gás no veículo custa cerca de R$ 4,5 mil – esse valor varia de acordo com o tamanho de veículo – , o retorno do investimento pode vir em nove meses para quem anda 100 km por dia, por exemplo, e a economia em relação a gasolina chega a ser de 65% ao mês.
Além da economia, outros fatores fazem com que o motorista opte pelo GNV. De acordo com engenheiro mecânico, Gidson Dantas, a combustão do GNV tem baixíssimo nível de resíduos, o que aumenta a vida útil do carro. Também é mais seguro porque, durante o abastecimento, o gás não entra em contato com o ar, evitando risco de explosão e o GNV é 100% puro, sem risco de sofrer adulteração.
Mas pense bem
A opção da modificação também traz consequências que precisam ser bem avaliadas. Ao optar por GNV, o veículo precisará passar por uma modificação que deve ser bem feita para não resultar em futuras dores de cabeça. Sem contar que, o cilindro de gás pode ocupar boa parte do espaço no porta-malas, problema a ser lembrado naquela viagem de férias – em alguns veículos, como a Chevrolet Spin, a questão foi resolvida com a instalação do kit embaixo do carro -.
Outro ponto que vale lembrar é que mesmo sendo certificada pelo Inmetro quando feita nas oficinas autorizadas, a conversão para GNV faz com que o veículo perca a garantia dada pela montadora.
Subir uma ladeira pode ficar mais difícil com um carro GNV porque a instalação causa uma perda de potência no veículo. O engenheiro explica que a perda de potência sentida no motor é em média 4% com o uso do kit eletrônico geração 5.
A quantidade de locais de abastecimento com o GNV também pode ser um problema já que não são todos os postos que disponibilizam o gás natural. Na Bahia, são 81 postos em 13 cidades, a maioria próximas a Salvador, onde há 45 postos de gás natural veicular. No Brasil, segundo a Abegás, são 1.576 postos de abastecimento de GNV.
Ponderando as vantagens e desvantagens, há seis anos, o professor de Educação Física, Marcelo Ramos, 37, optou pela conversão ao GNV. A motivação surgiu ao observar o quanto se gastava nos carros a gasolina. Com a onda dos aplicativos de carona e disposto a aumentar a renda familiar, Marcelo aproveitou para trabalhar com o carro no período noturno. Hoje, ele roda cerca de 100 km por dia no seu Chevrolet Spin 1.6. “Gasto muito menos, mesmo abastecendo quase todos os dias. Nos meus cálculos, eu economizo cerca de R$ 150 em comparação aos antigos modelos a gasolina”.
Legislação
Não esqueça que o veículo que usa o gás precisa passar por vistoria anualmente no Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) e deve ter o selo do Instituto Nacional de Metrologia e Qualidade (Inmetro).
O passo a passo da conversão:
– Solicitar em um Centro de Registro de Veículos Automotores (CRVA) a autorização para alterar combustível.
– Encaminhar o veículo para adaptação em oficina credenciada junto ao Inmetro.
– Após convertido, o veículo deve ser inspecionado em organismo de inspeção credenciado pelo Inmetro, com a autorização do Detran, a nota fiscal do serviço e o Atestado de Qualidade do Instalador Registrado para a obtenção do Certificado de Segurança Veicular (CSV).
– De posse do CSV e da nota fiscal do equipamento, deverá reapresentar o veículo no CRVA para o registro da alteração do combustível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *