Petróleo opera em baixa, após Arábia Saudita dizer que aumentará produção

Roteiro de visitas do assessores de campo do Sindicombustíveis Bahia
22/10/2018
Exportações de petróleo da Petrobras vão aumentar bastante em 2019, diz CEO
23/10/2018
Mostrar tudo

Fonte: UDOP

Os contratos futuros de petróleo operam em queda nesta terça-feira, com o Brent abaixo de US$ 80 o barril após a Arábia Saudita afirmar que pretende elevar sua produção. Além disso, o menor apetite por risco nos mercados acionários influi negativamente.

À 8h19 (de Brasília), o petróleo WTI para dezembro recuava 1,57%, a US$ 68,27 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para dezembro caía 1,90%, a US$ 78,31 o barril, na ICE.

O ministro da Energia saudita, Khalid al-Falih, teria falado a uma agência de notícias russa na segunda-feira que seu país pretende elevar a produção para 11 milhões de barris por dia (bpd). Atualmente, os sauditas produzem 10,7 milhões de bpd. Analista da corretora PVM Oil Associates, Tamas Varga diz que o compromisso saudita pesa sobre os preços. Segundo Varga, o compromisso parece ser mais um aceno político, já que para o restante deste ano o mercado global parece equilibrado.

A declaração de Falih é dada em momento de maior tensão entre a Arábia Saudita, maior exportador de petróleo global, e o Ocidente por causa da morte do jornalista dissidente saudita Jamal Khashoggi, visto pela última vez entrando no consulado saudita em Istambul. Analistas especulam se os EUA ou outro país ocidental poderia impor sanções contra a Arábia Saudita, o que poderia levar Riad a retaliar e tenderia a elevar os preços do petróleo.

Mas analistas do Commerzbank apontam que uma alta na produção saudita para um “nível recorde” compensaria o corte esperado na oferta do Irã, alvo de sanções dos EUA que entram em vigor no início de novembro.

Fonte: Dow Jones Newswires
Texto extraído do portal Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *