A importação de álcool terá nova regra

ANP promove encontro sobre a qualidade de produtos com o mercado
13/04/2017
Em alta, híbridos e elétricos vão pagar taxa de veículos comuns nos EUA
13/04/2017
Mostrar tudo

Fonte: JC News | PE

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) decidiu que o etanol importado vai obedecer às mesmas regras exigidas aos produtores nacionais com relação aos estoques. Os empresários locais têm que apresentar, respectivamente, um armazenamento de 25% e 8% da sua produção. O primeiro percentual é exigido no dia 31 de janeiro e o segundo em março. “É uma medida correta, porque traça instrumentos que dão estabilidade ao empresário local”, diz o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Pernambuco (Sindaçúcar-PE), Renato Cunha. As importações de etanol dos Estados Unidos estão trazendo preocupações ao setor no Nordeste.
“Que regra é essa que o produtor nacional não pode vender tudo porque tem que fazer estoque e concorre com o importado ?”, questiona Renato. As importações de etanol aumentaram sete vezes, saindo de 61 milhões de litros nos dois primeiros meses de 2016 para 430 milhões de litros no mesmo período deste ano.
Renato acrescenta que “a indústria nacional está ficando sem vender por causa dessa importação de etanol” e isso pode causar distorções como as usinas produzirem menos.

SETOR PREJUDICADO
Além das vendas prejudicadas, os produtores locais estão tendo perdas por causa da estiagem. E os fornecedores de cana dizem que a importação do etanol contribuiu para uma redução de 11% do preço da planta nos últimos seis meses. O álcool corresponde a 42,01% do preço da planta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *