Alimentos recuam 0,06% no IPCA-15 de novembro, ante -0,25% em outubro, diz IBGE

Sindicombustíveis Bahia realiza Festa de Confraternização
22/11/2016
Trump gera preocupação na indústria de etanol dos EUA
23/11/2016
Mostrar tudo

Fonte: Agência Estado

As famílias voltaram a gastar menos com alimentação em novembro, mas os preços caíram com menor velocidade. O grupo Alimentação e Bebidas passou de uma queda de 0,25% em outubro para recuo de 0,06% este mês, dentro do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), informou nesta quarta-feira, 23, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Vários produtos ficaram mais baratos, com destaque para a queda de 10,52% no leite longa vida, produto importante na despesa das famílias. O item exerceu o principal impacto negativo no IPCA-15 do mês, o equivalente a uma contribuição de -0,12 ponto porcentual.
Também houve redução no feijão carioca (-11,84%), feijão mulatinho (-7,82%), tomate (-6,61%) e cenoura (-4,31%). Na direção oposta, houve pressão dos aumentos nos preços do açúcar cristal (3,73%), pescados (3,91%), batata-inglesa (3,26%), cerveja (2,36%) e carnes (1,43%).
Transportes
O preço do litro do etanol saltou 7,29% em novembro dentro do IPCA-15. O item exerceu o impacto mais elevado na inflação do mês, o equivalente a uma contribuição de 0,07 ponto porcentual para o resultado de 0,26% do IPCA-15.
Como consequência, a gasolina também voltou a subir, com alta de 0,59% em novembro, a despeito da redução do preço nas refinarias anunciada pela Petrobras.
Outro destaque no grupo Transportes foi o expressivo aumento de 23,72% registrado pelo item multa, como reflexo do reajuste médio de 53% em vigor desde o dia 1º de novembro. Os gastos das famílias com transportes passaram de alta de 0,67% em outubro para aumento de 0,46% em novembro.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *