Após alta da gasolina, etanol dispara e custa até R$ 2,99 no interior de SP

Após quatro quedas seguidas, varejo cresce 2% em novembro, diz IBGE
10/01/2017
Etanol: Ano se inicia com baixa liquidez e ligeiras oscilações de preços
10/01/2017
Mostrar tudo

Fonte: G1 SP

Após a gasolina registrar o maior valor em um ano, em 18 estados brasileiros, o preço do etanol também disparou e o litro chega a ser vendido por R$ 2,99 na região de Ribeirão Preto (SP), que é uma das maiores produtoras desse combustível no país.
Dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) apontam que até sexta-feira (6) o litro do etanol era vendido em média por R$ 2,70 nos postos de Ribeirão. Isso significa um reajuste em torno de 10,7% em uma semana.
O presidente da Associação Brasileira do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos e Lubrificantes (Brascombustíveis), Renê Abbad, alega que o preço subiu porque a demanda aumentou, após a alta da gasolina nos últimos meses.
“Aqueles que têm carro flex, têm a opção de optar por um, ou por outro. O consumidor já havia se acostumado com etanol, mas, no momento, como subiu muito o preço de custo do etanol, já estamos constatando um desestímulo”, diz.
O Sindicato Brasileiro das Distribuidoras de Combustíveis (Sinbracom) justifica que o período da entressafra, quando as usinas interrompem a produção, também acaba afetando o valor do combustível nas bombas, porque o estoque na indústria é menor.
O presidente do Sinbracom, Valdemar de Bortoli Junior, explica ainda que a alta da gasolina também fez as usinas elevarem o preço do etanol antecipadamente, já prevendo um aumento da demanda nos postos e a possibilidade de falta de combustível.
“Aumentou a gasolina, ocorreu uma migração do consumo para o etanol e os usineiros aumentaram o preço. Agora, acredito que vai estabilizar e até regredir um pouco. O consumidor está buscando a gasolina e a tendência é baixar o preço do etanol”, afirma.
Por outro lado, levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP) mostra que o preço do combustível não sofreu reajuste nas usinas paulistas nas últimas três semanas.
Na sexta-feira (6), quando foi realizada a pesquisa mais recente, o litro de etanol era vendido a R$ 1,85 pela indústria. Uma semana antes, em 29 de dezembro, o mesmo combustível saía das usinas por R$ 1,86 o litro, queda de 0,5%.
O professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão (FEA/USP) José Carlos de Lima Junior reforça a afirmação do Sinbracom de que o valor do etanol não depende unicamente da produção de cana, mas também do preço da gasolina.
“O fato é que a gasolina, sim, teve uma valorização maior. Quando você faz a comparação direta com o que dois, três meses atrás, parece que está muito caro. Mas, um comparativo entre 2016 e 2017 mostra que o álcool teve um aumento de apenas 4%, ou seja, muito menor do que a inflação, que foi de 7%, em 2016”, conclui.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *