GM planeja lançar 10 veículos elétricos e híbridos na China até 2020

ANP prevê maior complexidade na relação com agentes em novo mercado de gás
21/04/2017
Petrobras deixa de contratar 6.000 fornecedores em três anos
23/04/2017
Mostrar tudo

Fonte: Agência Estado

A General Motors planeja lançar 10 veículos elétricos e híbridos (que funcionam com gasolina ou eletricidade) na China até 2020, disse o presidente da GM China, Matt Tsien, nesta sexta-feira, à medida que as montadoras aceleram o lançamento de veículos alternativos sob pressão de Pequim para promover o segmento.

A GM vai iniciar a produção de um modelo puramente elétrico na China dentro de dois anos, disse Tsien, em uma entrevista coletiva durante feira de automóveis em Xangai. Ele disse que a GM espera vendas anuais de 150 mil carros elétricos e híbridos na China em 2020 e possivelmente de mais de 500 mil veículos em 2025. Ford Motor, Volkswagen, Nissan Motor e outros fabricantes de automóveis também anunciaram planos agressivos para fabricar e vender veículos elétricos e híbridos na China, o maior mercado de automóveis por número de unidades vendidas.

O governo chinês tem os objetivos de carro elétrico mais ambiciosos do mundo, esperando tanto limpar a poluição do ar nas cidades chinesas e assumir a liderança em uma indústria emergente. Reguladores estão pressionando marcas estrangeiras para ajudar a desenvolver a indústria e abalaram a indústria ao propor uma exigência de que carros elétricos representem pelo menos 8% da produção de cada marca no ano que vem, subindo para 10% em 2019 e 12% em 2020. As montadoras dizem que podem não conseguir cumprir essas metas e os reguladores sugeriram que elas podem ser reduzidas ou adiadas. Pequim também deve reforçar o que os executivos de automóveis dizem que são os padrões de emissões mais rigorosos do mundo. Eles afirmam que isso provavelmente exigirá que todos os fabricantes incluam elétricos em sua produção. “Nos próximos anos, até 2020, esperamos lançar pelo menos 10 novos veículos de energia no mercado”, diz Tsien, usando o termo do governo para veículos elétricos e híbridos. “Temos um pipeline que vai se materializar, o que nos colocará em uma posição muito boa de uma perspectiva de exigência de economia de combustível”.

Todos os veículos serão fabricados na China, segundo ele. As montadoras estrangeiras estavam relutantes em vender carros elétricos na China porque os reguladores exigiam que transferissem propriedade intelectual valiosa para parceiros locais ou pagariam taxas de importação de 25%, mesmo que os veículos fossem produzidos em uma fábrica chinesa. Pequim atenuou essas exigências em um esforço para atrair participantes estrangeiros, embora as montadoras digam que as regras finais para a produção de veículos elétricos ainda não foram anunciadas. “Não temos preocupações relativas à quantidade de propriedade intelectual que tem de ser compartilhada. Temos uma compreensão bastante clara do que são as regras de envolvimento”, afirma Tsien.

“Para os veículos em que a General Motors detém a propriedade intelectual, temos acordos de licenciamento de tecnologia de longa data com nosso parceiro. Esses funcionam de forma eficaz.” Tsien destaca que os fabricantes precisarão desenvolver os veículos que tenham apelo junto aos clientes. “A indústria tem de trabalhar muito duro para educar os clientes no que diz respeito aos méritos (do produto)”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *