Mercedes-Benz testa etanol celulósico E20 em automóveis

Governo federal lança Campanha Nacional de Proteção a Crianças e Adolescentes no Carnaval
22/02/2017
Microalgas são o próximo passo na revolução dos biocombustíveis
23/02/2017
Mostrar tudo

Fonte: Brasilagro

Uma pequena frota de automóveis da Mercedes-Benz testou por um ano na Alemanha o uso de etanol celulósico Sunliquid 20, combustível obtido a partir de resíduos agrícolas, em parceria com a Clariant, empresa do ramo químico e responsável pela produção do combustível, e com a Haltermann Carless, do Grupo HCS.
O etanol celulósico utilizado no teste foi produzido na planta da Clariant em Straubing, município do centro-oeste alemão, onde a cada ano cerca de 4,5 mil toneladas de resíduos agrícolas, como palha de cereais ou de milho, são convertidas em etanol celulósico. Já a mistura de 20% acontece na fábrica da Haltermann Carless, em Hamburgo, onde o bioetanol é misturado com componentes selecionados para criar o combustível cujo composto utilizado é o E20, conteúdo de 20% de etanol celulósico.
O resultado se mostrou promissor: apresentou propriedades de combustão muito boas, com alto grau de eficiência e consumo idêntico ao combustível padrão atual E10. Devido à densidade de energia inferior do E20 em comparação com o E10, esperava-se um consumo de combustível ligeiramente mais alto, sob as mesmas condições operacionais. Os testes realizados em laboratório demonstraram uma variação no consumo, com índice de 0 a 3% a mais. Além da performance, o teste mostrou uma melhora nas emissões de material particulado em cerca de 50% com relação ao combustível de referência da UE, o Euro 5.
O etanol celulósico também permite a redução nas emissões de gás de efeito estufa de até 95% ao longo de toda a cadeia e sem competir com a produção de alimentos ou a utilização de terrenos agrícolas. Além disso, o E20 dá ao combustível um número de octanas (RON) significativamente maior, acima de 100. Com seu uso generalizado, os motores poderiam ser adaptados no futuro de forma que a vantagem da qualidade do combustível poderia ser usada para melhorar a eficiência dos motores e, assim, reduzir ainda mais o consumo e as emissões.
“Desenvolver e trazer ao mercado soluções para uma mobilidade mais sustentável é uma das tarefas mais importantes no setor de transportes hoje. Estamos muito satisfeitos pela comprovação da alta qualidade do Sunliquid 20 no teste de campo, com a mesma autonomia e o mesmo conforto na direção”, afirma Martin Vollmer, chefe de tecnologia da Clariant. “O etanol celulósico feito a partir de resíduos agrícolas é um combustível neutro em carbono com grande potencial, que pode ser economicamente produzido e utilizado nos dias de hoje. Para que a transição de energia possa ser bem-sucedida no setor de transportes, precisamos urgentemente de um quadro estável de condições, como, por exemplo, a taxa de mistura obrigatória de biocombustíveis avançados que está sendo discutida pelos países membros da União Europeia”, relembra.
“Esta é mais uma prova de que a Alemanha é uma pioneira tecnológica na pesquisa e no desenvolvimento de combustíveis especiais sustentáveis. Como uma empresa de especialidades e parceira de pesquisas industriais, estamos muito satisfeitos por produzir um combustível com especificações e propriedades ambientais espetaculares, que pode demonstrar a sua utilidade em motores existentes, com a infraestrutura existente, sem quaisquer problemas”, enfatiza o Bruno Philippon, vice-presidente sênior de combustíveis de alta performance na Haltermann Carless (AutomotiveBusiness, 21/2/17)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *