Montadoras vão financiar postos de carregamento para carros elétricos

Queda de preço da gasolina depende de fatores externos, diz Pedro Parente
30/11/2016
Preços do petróleo saltam 7% com perspectivas de corte da produção
30/11/2016
Mostrar tudo

Fonte: G1
Da Reuters
Quatro das maiores montadoras do mundo concordaram em investir em milhares de locais de carregamento rápido de baterias de carros elétricos na Europa para impulsionar a aceitação dos veículos, informaram as empresas nesta terça-feira (29).
Estimuladas pelo sucesso da Tesla, que recebeu grandes pré-encomendas para o seu carro Model 3, as rivais alemãs Porsche, Audi, Mercedes-Benz e BMW, e a divisão europeia da Ford formaram uma joint venture para desenvolver 400 estações de carregamento já a partir de 2017. Até 2020, as marcas querem oferecer “milhares” de pontos, de acordo com o comunicado.
Superar a ansiedade de alcance e o medo de ficar sem energia antes de chegar a uma estação de carregamento é a chave para a aceitação generalizada do consumidor a veículos elétricos, que até agora têm preenchido apenas um nicho de mercado.
Não foram divulgados dados sobre o investimento total. Um memorando de entendimento para a joint venture foi acertado na semana passada.
Reguladores do governo também têm avançado em projetos de infraestrutura de veículos elétricos.
Nos Estados Unidos, resta ver como a administração de Donald Trump vai abraçar tais projetos. Uma semana antes da eleição presidencial, a Casa Branca anunciou esforços para estimular a infraestrutura de carregamento de veículos elétricos.
Após o governo alemão aceitar ajudar a indústria automotiva com subsídios a carro elétrico, a pressão tem aumentado para que montadoras da Alemanha acelerem o desenvolvimento e implantação de infra-estrutura de carro elétrico.
O ministro alemão de Economia, Sigmar Gabriel, potencial concorrente de Angela Merkel em 2017, pediu que a Alemanha se torne líder em tecnologia de veículos elétricos.
Pontos de carga escassos, bem como preços mais altos para carros elétricos, têm sufocado a demanda do mercado de massa apesar de incentivos de vendas que muitas vezes incluem assistência do governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *