Safra de cana-de-açúcar deve crescer 4,4% e chegar a 694,5 milhões de toneladas
20/12/2016
Consumo de gás natural cresce 3,3% no País em outubro ante setembro
20/12/2016
Mostrar tudo

Fonte: Cana Online

Teremos mudança de matriz energética e possível mudança de matriz veicular
No setor, existe uma preocupação de curto prazo de se ter retorno financeiro para manter a empresa viva, pagar as dívidas e sanear a empresa. Mas o empresário não pode tirar o olho do longo prazo. Tenho opinião que o vetor de crescimento do setor se dará pela energia limpa. É uma percepção minha, considerando tudo que ocorre no mundo, como os compromissos assumidos a partir da COP-21. Teremos mudança de matriz energética e possível mudança de matriz veicular. Teremos no futuro um mercado de energia limpa.
A visão empresarial agora vai ser de curto prazo, pelo que passamos nos últimos anos, mas institucionalmente é necessário nos organizarmos mais, convergindo as ideias dos diversos grupos produtores no sentido de construir esse futuro com base em energia limpa. Temos que buscar soluções mais sustentáveis e não vejo outra solução que não inclua algum tipo de taxa ambiental. E demanda e oferta precisam convergir, para que etanol e açúcar cresçam juntos, de modo que não ocorra o que houve entre 2005 e 2010.
Mário Campos, presidente da Siamig (Associação da Indústria de Açúcar e Etanol de Minas Gerais)

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *