Para economistas, primeiro desafio do futuro governo é subsídio ao diesel

Gasolina cai 0,04% nos postos do Brasil na semana; etanol e diesel sobem, diz ANP
27/10/2018
Banco de decisões da ANP está disponível para consulta
29/10/2018
Mostrar tudo

Fonte: Folha de S.Paulo

Ao analisar as perspectivas econômicas do novo governo, o diretor do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas, Luiz Guilherme Schymura de Oliveira, disse que o primeiro problema econômico que o novo governo federal terá a resolver será o subsídio ao diesel, que termina em 31 de dezembro e, se prorrogado, custará R$ 19 bilhões em 2019.
Ao lado do diretor de Investimentos e Patrimônio da Funcesp, Jorge Simino Júnior, e de Samuel Pessôa, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas no Rio de Janeiro, Schymura participou de encontro na TV Folha para discutir as perspectivas da economia brasileira com o novo governo.
Às 19h20, com 94% das urnas apuradas, Jair Bolsonaro (PSL) já havia ganhado a eleição, com 55,5% dos votos.
A mediação do encontro foi da diretora de Redação da Folha, Maria Cristina Frias.
A correspondente da Folha em Nova York, Danielle Brant, participou via skype e falou da repercussão internacional da eleição de Bolsonaro.
Samuel Pessôa concordou com Schymura. “Se Bolsonaro alongar o subsídio por mais um ano, dará um sinal de que é fraco na gestão fiscal.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *