Peru diversifica importações de petróleo com compras do Brasil e dos EUA

Odebrecht fura bloqueio da Petrobras na justiça para disputar licitação
19/07/2016
Petrobras processa ex-sócia envolvida na aquisição da refinaria de Pasadena
19/07/2016
Mostrar tudo

Fonte: REUTERS
Ter, 19 de Julho de 2016

O Peru começou a expandir as fontes de suas importações de petróleo, lentamente introduzindo tipos norte-americanos e brasileiros a um quadro constituído basicamente de petróleo do Equador, da África e de Trinidad e Tobago, de acordo com dados de fluxos comerciais da Thomson Reuters.
Os números mostraram que o Peru se uniu à lista crescente de países latino-americanos que aumentaram as compras de petróleo dos Estados Unidos para suas refinarias desde que uma proibição de exportação foi levantada no fim de 2015.
“Comprar outros petróleos é um resultado de uma maior variedade devido à exportação de petróleo dos EUA. Nós sempre escolhemos a opção com o melhor valor econômico para nós”, disse o chefe de mercados externos na petroleira estatal peruana Petroperu, Augusto Nunez, em entrevista.
A Petroperu opera uma rede doméstica de quatro refinarias com uma capacidade conjunta de processamento de 94.500 barris por dia.
Com quase todas suas refinarias localizadas ao longo da costa do Pacífico na América do Sul, o Peru é um grande consumidor de petróleo equatoriano, uma vez que o país andino é sua fonte de petróleo mais próxima, enquanto a produção de petróleo peruano continua caindo. Mas o Peru continua buscando novas fontes de petróleo nas Américas.
A refinaria de Conchan da Petroperu fez em maio sua primeira compra de petróleo do Campo de Sapinhoá, no pré-sal da Bacia de Santos, no Brasil, operado pela Petrobras. Um outro carregamento chegou no último mês no terminal da refinaria de La Pampilla, que processa 102 mil barris por dia e é operada pela espanhola Repsol

Os comentários estão fechados.