Relação etanol/gasolina atinge marca histórica na 4ª semana de outubro

A síndrome do controle de preços
05/11/2016
Etanol: hidratado cai 0,24% e anidro sobe 0,50% nas usinas paulistas
05/11/2016
Mostrar tudo

Fonte: Agência Estado

O encarecimento do etanol nos últimos meses fez a relação entre o preço do álcool combustível e o da gasolina atingir 76,10% na quarta semana de outubro, marca que nunca fora registrada em um período como esse desde o início da serie histórica da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em 2001. “É atípico para esta época do ano um índice tão elevado. Deve continuar nessa dinâmica nas próximas leituras”, estimou André Chagas, coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na capital paulista.
Já no fechamento de outubro, a relação entre os preços dos combustíveis atingiu 73,48%, sendo o maior resultado desde março deste ano (77,54%). Segundo Chagas, o movimento reflete o encarecimento do etanol, em razão do avanço no preço do açúcar no mercado internacional. O economista explica que o alívio esperado com a queda da gasolina nas refinarias segue mascarado pelo aumento do etanol.
Segundo especialistas, o uso do etanol deixa de ser vantajoso quando o preço do derivado da cana-de-açúcar representa mais de 70% do valor da gasolina. A vantagem é calculada considerando que o poder calorífico do etanol é de 70% do poder do combustível fóssil. Com a relação entre 70% e 70,5%, é considerada indiferente a utilização de gasolina ou etanol no tanque .

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *