Consumo de diesel já recuperou nível pré-crise, diz presidente da BR

BR vê boas oportunidades com abertura do refino
26/06/2020
Vendas de etanol estão 25% menores na safra 2020/2021
26/06/2020
Mostrar tudo

Fonte: Valor Econômico

Em Live do Valor, Rafael Grisolia diz que consumo do combustível é um bom indicador macroeconômico, que aponta o crescimento da economia

Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.
O presidente da BR Distribuidora, Rafael Grisolia, disse que o consumo de diesel no país foi muito afetado nos meses de março e abril, mas que já recuperou os níveis pré-crise da pandemia, e que o consumo de etanol e gasolina estão atualmente cerca de 20% abaixo dos níveis anteriores, mas em recuperação.
“O nível de consumo de diesel é um bom indicador macroeconômico, que aponta o crescimento da economia, já que a produção brasileira depende do diesel utilizado nos caminhões que levam as mercadorias pelo país, e a demanda pelo combustível já está nos níveis de antes da covid-19”, disse Grisolia, que participou hoje da Live do Valor.
Sobre os combustíveis do Ciclo Otto (gasolina e etanol) mais utilizados em motos e em carros de passeio, o executivo afirmou que após queda de 55% nas vendas diárias, o consumo está em recuperação. No entanto evitou dar um prazo ou fazer previsões para a normalização da demanda.
“É difícil vislumbrar quando, ou se vai voltar aos níveis anteriores, pode até ser que aumente o consumo, visto que, em alguns cenários, o uso de transportes individuais pode aumentar para evitar aglomerações em transportes públicos, mas ainda não é possível planejar isso”, disse.
Sobre o setor de aviação onde a queda na venda de combustível chegou a 85%, o executivo afirmou que apesar de confiar nas companhias aéreas brasileiras, o ‘timing’ de recuperação delas será mais lento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *