Petróleo fecha em forte queda, com temores sobre a demanda

Com avanço da pandemia, Toyota, Renault e Volkswagen Caminhões também suspendem produção
26/03/2021
ANP iniciará consulta pública sobre fiscalização de exploração e produção de petróleo e gás
26/03/2021
Mostrar tudo

Valor Econômico

Os contratos futuros do petróleo fecharam, nesta quinta-feira (25), mais uma vez, em forte queda, devolvendo grande parte do salto dado na quarta-feira (24), depois que um navio cargueiro encalhou no Canal de Suez, interrompendo o fluxo de petróleo pela via.

O contrato do petróleo Brent para maio fechou em queda de 3,81%, a US$ 61,95 por barril na ICE, em Londres, enquanto o do petróleo WTI para o mesmo mês recuou 4,28%, a US$ 58,56 por barril na Bolsa de Mercadorias de Nova York.

Os preços do petróleo dispararam ontem com os temores de uma interrupção no transporte do petróleo. A alta, porém, apenas reverteu o tombo sofrido no dia anterior, na terça-feira (23), quando ambas as referências da commodity despencaram com os temores em torno da extensão das restrições econômicas na Alemanha.

Ambas as referências do petróleo fecharam a sessão de terça-feira com perdas de mais de 12% em relação aos seus picos recentes, entrando em território de correção — um movimento técnico de queda de mais de 10% em relação ao pico, que costuma indicar uma tendência de queda para o ativo em questão.

O navio cargueiro continua levantando temores entre os investidores, mesmo que o foco tenha saído um pouco do assunto hoje.

“A melhor chance de libertar o porta-contêineres que está bloqueando o Canal de Suez pode não vir até domingo [28] ou segunda-feira [29], quando a maré chegará ao pico”, disse Helge Andre Martinsen, do DNB Markets, à “Dow Jones Newswires”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *