Defesa do Consumidor debate benefícios ao produtor e ao consumidor da venda direta de etanol

Petrobras reduz utilização de refinarias em setembro, aumenta mercado de derivados
06/11/2018
Relação etanol/gasolina acelera a 61,55% em outubro em São Paulo, diz Fipe
06/11/2018
Mostrar tudo

Fonte: Agência Câmara Notícias

A Comissão de Defesa do Consumidor debate nesta tarde a venda direta de etanol hidratado e os benefícios ao produtor e ao consumidor final. O debate atende a requerimento do deputado João Fernando Coutinho (Pros-PE).

O parlamentar afirma que o incentivo à venda direta permite a concessão de mais créditos ambientais para o produtor, por permitir que o produto precise de um deslocamento menor para chegar ao destino. “Além disso, com a possibilidade de comprarem etanol de mais de uma fonte, os postos economizarão com menos fretes e com mais rapidez e segurança de abastecimento”.

Para Coutinho, a venda direta traz como benefício adicional adequação na tributação e redução de importações desnecessárias. Ele argumenta que, no entanto, ainda “há ainda um robusta regulação protetora dos mecanismos privados e contratuais de ‘embandeiramento’ entre distribuidora e posto”.

Foram convidados para discutir o assunto:
– o coordenador do Departamento de Estudos Econômicos do Conselho de Administração de Defesa Econômica (Cade), Ricardo Medeiros de Castro;
– o presidente do Sindicato da Indústria do Açucar e do Álcool em Pernambuco, Renato Augusto Pontes Cunha;
– o presidente da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil, Alexandre Lima;
– a diretora-presidente da União da Indústria de Cana de Açúcar, Elizabeth Farina; e
– o presidente-executivo da Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência (Plural), Leonardo Gadotti.

A reunião será realizada às 14h30, no plenário 8.

O público poderá participar o debate pela internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *