Fim de subsídio provocará aumento no preço do etanol

ANP deve atuar para melhorar o ambiente de negócios, diz novo diretor-geral
29/12/2016
Preço do petróleo sobe 52% em 2016, após amargar três anos de perdas
30/12/2016
Mostrar tudo

Fonte: Revista Canavieiros

O benefício fiscal das usinas de etanol concedido pelo governo federal, que está em vigor desde 2013, encerra no próximo sábado (31). Com isso, a partir de domingo (1º), o preço do etanol deve aumentar nas distribuidoras de combustíveis e, consequentemente, nos postos de combustíveis. Com o aumento do valor gerado pelo retorno da cobrança de PIS/Cofins de 12 centavos por litro do etanol hidratado a partir de 1º de janeiro de 2017, o governo federal poderá ter um acréscimo na receita de R$ 1,5 bilhão em 2017. O aumento também poderá encarecer ainda mais a gasolina, que possui 27% de etanol anidro em sua composição. No entanto, de acordo com o advogado do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto), Antônio Carlos de Lima, o reajuste pode variar conforme os postos. “Tanto revendedores quanto distribuidoras de combustível têm liberdade para fazer a gestão de seus preços e custos. Portanto, o reajuste seguirá a realidade de cada localidade”, explicou Antônio Carlos. O benefício fiscal das usinas de etanol concedido pelo governo federal, que está em vigor desde 2013, encerra no próximo sábado (31). Com isso, a partir de domingo (1º), o preço do etanol deve aumentar nas distribuidoras de combustíveis e, consequentemente, nos postos de combustíveis. Com o aumento do valor gerado pelo retorno da cobrança de PIS/Cofins de 12 centavos por litro do etanol hidratado a partir de 1º de janeiro de 2017, o governo federal poderá ter um acréscimo na receita de R$ 1,5 bilhão em 2017. O aumento também poderá encarecer ainda mais a gasolina, que possui 27% de etanol anidro em sua composição. No entanto, de acordo com o advogado do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto), Antônio Carlos de Lima, o reajuste pode variar conforme os postos. “Tanto revendedores quanto distribuidoras de combustível têm liberdade para fazer a gestão de seus preços e custos. Portanto, o reajuste seguirá a realidade de cada localidade”, explicou Antônio Carlos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *