Petrobras e YPFB planejam investir US$ 1,2 bi em gás

Petroleiros rejeitam reajuste salarial da Petrobras e discutem greve
08/11/2016
Contradição: gasolina em falta na Venezuela, o país do petróleo
08/11/2016
Mostrar tudo

Fonte: O Globo

O governo da Bolívia informou ontem que a Petrobras e a estatal boliviana YPFB Chaco assinaram um acordo de investimento de US$ 1,2 bilhão para exploração de duas áreas de gás natural. Os projetos citados pelo governo boliviano são os de Astilleros e San Telmo, ambos ao sul daquele país.
A YPFB tem participação de 40% em San Telmo, enquanto a Petrobras tem 60%. Em Astilleros, a fatia da petroleira brasileira é de 40%, e a participação da YPFB, de 60%.
O contrato teria vigência por 40 anos, e a expectativa é que os dois projetos já estejam produzindo gás em 2022. De acordo com o governo, se o projeto for bem-sucedido, poderia produzir 14 milhões de metros cúbicos por dia.
Em nota publicada no site do Ministério de Hidrocarbonetos, o governo boliviano afirma que as tratativas asseguram que as negociações energéticas entre os países não foram interrompidas, mas avançaram tanto no campo dos hidrocarbonetos como da eletricidade.
Com a proximidade do fim da vigência do contrato de fornecimento de gás entre Brasil e Bolívia, até 2019, a expectativa do governo boliviano é prorrogar o acordo.
Em nota, porém, a Petrobras informou que sua subsidiária, a Petrobras Bolívia, assinou uma proposta de trabalho conjunto com a YPFB para atuação no desenvolvimento de projetos exploratórios de gás natural nas áreas de Astilleros e San Telmo, mas que não foi assinado nenhum contrato definitivo entre as duas empresas. A efetivação do acordo está condicionada à aprovação das instâncias corporativas de Petrobras e YPFB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *