Petroleiras cumprem apenas 5% da exploração em mar após quase 4 anos de rodada
12/03/2017
Abalos provocados pelos veículos elétricos vão além do setor automotivo
13/03/2017
Mostrar tudo

Fonte: G1

Os preços do petróleo recuaram novamente nesta sexta-feira (10), levando os preços a mínimas em 3 meses à medida que investidores continuaram a deixar posições altistas por preocupações de que os cortes de produção liderados pela Organização dos Exportadores de Petróleo (Opep) ainda não reduziram um excedente global de petróleo.

O barril dos EUA caiu quase 9% desde o fechamento de terça-feira, o maior declínio de três dias desde fevereiro de 2016, destaca a Reuters. A perspectiva altista que havia prevalecido durante a maior parte dos últimos meses foi anulada por números de estoques persistentemente altos, e foi instrumental em atrair especuladores às saídas na segunda metade desta semana.

O petróleo dos EUA fechou em queda de 0,79 dólar, ou 1,6 por cento, a US$ 48,49 por barril, preço mais baixo desde novembro, enquanto o petróleo Brent encerrou em queda de 0,82 dólar, ou 1,6%, a US$ 51,37 por barril, menor valor em três meses.

Os preços começaram a cair mais cedo nesta semana, após notícias de outra grande alta nos estoques de petróleo dos EUA para máximas recordes. Nesta sexta-feira, a empresa de serviços de energia Baker Hughes reportou outro aumento semanal na atividade de perfuração dos EUA.

“Não temos visto os cortes de produção realizados por produtores mundiais realmente ajudando a aliviar o excedente nos estoques”, disse Gene McGillian, diretor de pesquisa de mercado da Tradition Energy em Stamford, Connecticut.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *