Raízen deve dobrar produção de etanol 2G em 2019, destaca Rubens Ometto

O futuro da mobilidade
31/10/2018
Modelo brasileiro de produção de etanol pode ser exemplo para outras nações
31/10/2018
Mostrar tudo

Fonte: Jornal Cana

A produção de etanol de segunda geração (2G) em unidade da Raízen deverá chegar a 40 milhões de litros na safra 2018/19. O volume dobra a produção a ser registrada neste ano.
A informação é de Rubens Ometto Silveira Mello, presidente do Conselho da Administração da Raízen, divulgada na manhã desta terça-feira (30/10) na 18ª Conferência Datagro Sobre Açúcar e Etanol na capital paulista.
A Raízen produz etanol 2G em sua unidade Costa Pinto, em Piracicaba (SP). Em 2018, conforme Ometto, a unidade deve produzir 20 milhões de litros.
Veículos elétricos
Segundo o empresário, falta ao setor sucroenergético estratégias de marketing. Citou, como comparação, os carros elétricos da Tesla. “Eles têm um marketing bem arrojado e temos que aprender com eles”, disse no evento.
Ometto comentou a importância do etanol como no inevitável processo de eletrificação de veículos.
Há três tipos de eletrificação: por baterias, hidrogênio e por combustível limpo. “A primeira é a comum, eficiente mas não necessariamente limpa do ponto-de-vista ambiental, aA vida útil da bateria é limitada e a descarga é cara, além de ter baixa densidade energética”, afirmou.
“A eletrificação com hidrôgenio é cara e perigosa, porque exige tanques de alta pressão e preços de armazenagem dispendiosas”, lembrou.
A melhor é a eletrificação de combustível limpa, emendou, quando usa combustível com baixa pegada de carbono, caso do etanol que é opção apropriada para isso. “Entendemos que estamos no centro da opção tecnológica, mais moderna. Todas tecnologias irão conviver no futuro. Até 2035 entre 10 a 15% de veículos leves serão movidos a bateria. Mas de nada adianta carro a bateria se a energia não for limpa”, disse.
O empresário fez defesa da implantação do RenovaBio e do programa Rota 2030 pelo governo de Jair Bolsonaro, que assume em janeiro próximo. “Criado no governo Temer, o RenovaBio é moderno, criado com sustentabilidade, sem criar subsídios e nem impostos”, exemplificou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *