Apesar de decisão do TCU, Petrobras vende ativos

Shell diz ter apetite para mais investimentos no Brasil além dos US$ 10 bilhões planejados
08/12/2016
Petrobras pretende se adequar a exigências do TCU até fevereiro
09/12/2016
Mostrar tudo

Fonte: Valor Online

A Petrobras está em negociação avançada para vender sua participação no campo de Saint Malo, no Golfo do México. A estatal também está perto de acertar a comercialização de três campos nacionais de petróleo e gás natural, como parte do plano de venda de ativos, por meio do qual pretende levantar US$ 15,1 bilhões no biênio 2015/2016. Localizado a 450 quilômetros ao Sul de Nova Orleans, no Estado americano da Louisiana, o campo de Saint Malo entrou em operação em dezembro de 2014. A Petrobras detém 25% do empreendimento, que é operado pela Chevron. Entre os sócios estão a americana ExxonMobil, a norueguesa Statoil e a italiana Eni, além da própria Chevron, dona da maior fatia. Procurada, a Petrobras não revelou o valor da sua participação. ASSUNTOS RELACIONADOS Petrobras vai vender campo de St. Malo Em comunicado ao mercado, a Chevron informou que os campos de Jack/St. Malo produziram, em 2015, 61 mil barris de petróleo e 10 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. A empresa estima potencial de recuperação de até 500 milhões de barris de óleo equivalente nesse campo. O campo no Golfo do México faz parte da lista de cinco projetos de desinvestimento da Petrobras que ficaram de fora da decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) que suspende a venda de ativos da estatal. O plenário do órgão determinou que o programa seja paralisado até que as regras de alienação sejam aperfeiçoadas. “A companhia inovou na forma de conduzir o procedimento licitatório”, diz o relatório do TCU, sustentando que as práticas da estatal estão em desacordo com os “princípios aplicáveis pela administração pública”. Nos casos da BR Distribuidora e de outros ativos, a Petrobras está impedida de continuar o processo de venda por causa de liminares judiciais e também da decisão do TCU. A suspensão da venda da BR é por tempo indeterminado, conforme comunicou ontem, aos grupos interessados, o Citibank, assessor financeiro da estatal. Por causa de liminar concedida em Sergipe, a Petrobras não pode sequer manter conversas com possíveis compradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *