CONSUMO DE GÁS NATURAL CRESCE 10,3% EM AGOSTO ANTE JULHO, DIZ ABEGÁS

Itaúsa entra na disputa por compra de fatia da BR Distribuidora da Petrobras
02/11/2016
As ações da Petrobras continuarão subindo?
03/11/2016
Mostrar tudo

Fonte: AGÊNCIA ESTADO
O consumo de gás natural no País totalizou 61,99 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia em agosto, o que representa um crescimento de 10,3% em relação ao mês de julho, quando foram consumidos 56,18 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, aponta levantamento da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), feito com concessionárias em 20 Estados.
A entidade destaca que a indústria retomou o movimento de recuperação observado durante um trimestre (abril/maio/junho), apresentando crescimento de 2,3% em agosto frente aos números de julho.
Em nota, o presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon, destaca que a entidade vem mantendo diálogo permanente com todos os organismos governamentais e os agentes ligados ao mercado com o objetivo de mostrar que a indústria do gás natural é um dos setores que podem colaborar para a atração de investimentos em infraestrutura no País e para a retomada da economia. “Acreditamos que o gás natural é estratégico para o crescimento do País”, afirma.
Outro reflexo do resultado positivo do segmento industrial no mês de agosto são os dados de cogeração, destaca a Abegás. Segundo a associação, o crescimento foi de 5,6% em agosto frente a julho.
“O consumo de gás natural veicular (GNV) no setor automotivo aumentou 1,4% em agosto na comparação com o mês anterior, mostrando a manutenção da competitividade do GNV frente aos combustíveis líquidos no período”, diz a Abegás.
Comercial e residencial
No segmento comercial, o consumo de gás natural recuou 5,6% na comparação com julho. O mercado residencial, por sua vez, registrou uma retração de 14% em agosto ante julho, efeito da sazonalidade do período.
O consumo de gás natural para geração elétrica teve uma alta de 47% em relação a julho, puxado pelo aumento da demanda por energia elétrica na região Sudeste.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *