Mercado de carro elétrico vai de zero a 2 milhões em cinco anos

Honda eleva aposta na eletrificação
09/06/2017
Alta na produção de países fora de acordo ameaça metas da Opep
09/06/2017
Mostrar tudo

Fonte: Portal Exame

O número de veículos elétricos nas ruas disparou para 2 milhões em 2016 após ser virtualmente zero há apenas cinco anos, segundo a Agência Internacional de Energia.

Os veículos registrados do tipo plug-in ou movidos a bateria nas ruas de todo o mundo aumentaram 60 por cento em relação ao ano anterior, segundo o relatório Global EV Outlook 2017, da AIE, que tem sede em Paris.

Apesar do rápido crescimento, os veículos elétricos ainda representam apenas 0,2 por cento do total de veículos leves.

“A China foi de longe o maior mercado de carros elétricos, respondendo por mais de 40 por cento dos carros elétricos vendidos no mundo, com mais do que o dobro do total vendido nos EUA”, escreveu a AIE no relatório publicado na quarta-feira.

“É inegável que a aceitação atual do mercado de carros elétricos é muito influenciada pelo ambiente político.”

Na quinta-feira, um programa plurigovernamental chamado Electric Vehicle Initiative estabelecerá uma meta de 30 por cento de participação de mercado para carros, ônibus, caminhões e vãs movidos a bateria até 2030, segundo a AIE.

Entre os 10 governos que participam da iniciativa estão China, França, Alemanha, Reino Unido e EUA.

A Índia, que não faz parte do grupo, informou no mês passado que planeja vender apenas carros elétricos até o fim da próxima década.

Os países e as cidades estão contando com os carros elétricos para ajudar a enfrentar seus problemas de poluição atmosférica.

Para limitar o aquecimento global a menos de 2 graus Celsius, meta estabelecida pelo histórico Acordo de Paris voltado às mudanças climáticas, o mundo precisará contar com 600 milhões de veículos elétricos até 2040, segundo a AIE.

Após dificuldades de aceitação entre os consumidores, a Tesla tem fabricado veículos elétricos arrojados e modernos e está entrando no mercado popular com o novo sedã Model 3.

O interesse do consumidor e a infraestrutura de recarga, juntamente com a queda da demanda por carros a diesel após o escândalo das emissões da Volkswagen, estimularam enormes investimentos em carros plug-in.

O “fator cool” dos veículos elétricos poderá gerar vendas de até 450 milhões até 2035, segundo o economista-chefe da BP, Spencer Dale.

A Volkswagen, que é a maior fabricante de automóveis do mundo, planeja lançar quatro veículos elétricos a preços acessíveis nos próximos anos como parte da meta de vender mais de 2 milhões de veículos movidos a bateria por ano até 2025.

A Mercedes-Benz acelerou o lançamento de 10 novos veículos elétricos em três anos, para 2022, para confrontar a Tesla em meio ao declínio gradual do motor de combustão.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *